Notícias


Processo Seletivo da Secoya para o Cargo de Administrador(a) PDF Imprimir E-mail
Ter, 24 de Fevereiro de 2015 13:46

Seleção de Administrador(a) para a

A Associação Serviço e Cooperação com o Povo Yanomami-Secoya é uma organização não governamental que atua junto ao povo Yanomami do Estado do Amazonas há mais de 20 anos, desenvolvendo ações nos campo de educação escolar diferenciada, educação em saúde, apoio ao processo organizativo Yanomami e desenvolvimento sustentável. A Secoya está selecionando um profissional para a vaga de administrador(a), para assumir a gestão financeira, contábil e de recursos humanos da instituição.

Perfil do candidato:

Curso superior com experiência em gestão administrativa em instituições do terceiro setor;

Compreender e contribuir no desenvolvimento dos objetivos sociais e indigenistas da organização;

Ser versátil e flexível, sabendo moldar as teorias administrativas para atender às necessidades da organização e melhor se encaixar no contexto em que ela se insere;

Ter responsabilidade quanto ao cumprimento dos prazos estabelecidos;

Saber se relacionar e dinamizar positivamente as relações interpessoais na organização;

Ter bom senso, flexibilidade e agilidade para resolução de problemas:

Ter boa redação;

Disposição e habilidade para adquirir novos conhecimentos.

Espera-se:

Domínio da gestão financeira, contábil e de recursos humanos inerentes a instituições do terceiro setor;

Capacidade para fund raising (mobilização de recursos) marketing voltado para a divulgação da ação social em instituições sem fins lucrativos, dentre outros;

Valores humanistas e visão global que habilite a tomar decisões a partir da compreensão do meio social, político, econômico e cultural no qual está inserido o projeto;

Visão estratégica e internalização de valores de responsabilidade social, justiça e ética profissional;

Atuação de forma interdisciplinar.

Atribuições do administrador:

Realizar a gestão financeira e contábil dos projetos da Secoya, dando suporte à coordenação de programas e coordenação geral.

Realizar todos os procedimentos relativos aos recursos humanos (contratação, demissão, folha de pagamento, encargos sociais, férias etc.)

Manter organizado os arquivos relacionados com o setor financeiro, contabilidade e recursos humanos;

Coordenar as ações dos profissionais ligados ao setor logístico e de administração;

Desenvolver as atividades administrativas e burocráticas inerentes as demandas do Departamento administrativo;

Dar suporte a Diretoria, o Conselho fiscal, a Coordenação Geral e os coordenadores de programas sob aspectos fiscais, financeiros e administrativos da Secoya.

Acompanhar as atividades rotineiras da Instituição sob cuidados da Coordenação Geral;

Realizar em conjunto com as coordenações de programa e coordenação geral todos os orçamentos relativos a envio projetos e a sua execução.

Acompanhar a emissão de certidões negativas, bem como questões jurídicas da Secoya (Assembléias ordinárias e extraordinárias);

Elaborar os relatórios financeiros, prestações de conta, atas, e outros documentos administrativos da Secoya, de modo articulado com a Coordenação Geral.

Condições de trabalho:

Previsão de Início: 15 de fevereiro 2014

Regime de Trabalho: CLT (Jornada de trabalho: 44 horas semanais.)

Encaminhamento das propostas e prazos:

Encaminhar currículo com carta de apresentação, incluindo expectativa salarial para os emails: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até o dia 06 de março 2015. O processo seletivo constará de avaliação de currículos, entrevistas e provas. Apenas os candidatos selecionados na primeira fase serão contatados.

 
Processo Seletivo da Secoya para o Cargo de Coordenação de Educação PDF Imprimir E-mail
Ter, 24 de Fevereiro de 2015 13:42

A  Secoya está contratando profissionais para atuar na coordenação do Departamento de Educação da Associação Serviço e Cooperação com o Povo Yanomami-Secoya, na sede da instituição em Manaus e em campo na área Yanomami, desenvolvendo atividades de gestão, planejamento, monitoramento com o objetivo de atingir as metas definidas pela instituição.

Exigências:

Curso Superior Completo em Educação, Pedagogia, Psicologia da educação ou em outras áreas afins;

Pós-Graduação ou mestrado desejável.

Experiência profissional:

É requerido nível de maturidade profissional necessário para coordenar atividades no campo da educação diferenciada;

Experiência em projetos de educação informal ou diferenciada desejável;

Experiência em Gestão de Projetos Sociais em organizações de médio porte;

Experiência em liderança de equipes;

Domínio de ferramentas gerenciais; Pacote Office e banco de dados;

Boa redação.

Atitudes esperada:

Liderança, Organização, Comunicabilidade e Negociação.

Perfil:

Dedicar-se ao trabalho com responsabilidade e profissionalismo;

Demonstrar sensibilidade para o trabalho junto ao povo Yanomami adotando uma atitude de respeito, independente da situação confrontada;

Ter disposição para o aprendizado da língua Yanomami;

Resolver problemas profissionais e pessoais com ética e respeito;

Ter disposição e flexibilidade para atuar em ambiente com condições de vida diferenciadas (regras, relações, precariedade das condições ambientais, isolamento);

Ter capacidade para trabalhar em equipe;

Ter capacidade para orientar os trabalhos a partir de uma visão que fortaleça a autonomia do povo Yanomami;

Ter capacidade técnica-pedagógica para desenvolver o programa de educação em visto do  reconhecimento da escola Yanomami;

Ter disponibilidade para auto-avaliação e avaliação participativa buscando qualidade de trabalho na execução dos trabalhos.

Atribuições:

Monitorar programas, projetos e atividades do Departamento de Educação de acordo com as orientações da Diretoria e Coordenação Geral através de avaliações, planejamento, supervisão, análise de cumprimento de metas, e outros instrumentais necessários;

Assegurar a relação com as instituições financiadoras no tocante a execução dos projetos e demais demandas oriundas dessas parcerias;

Elaborar Plano de Ação para atingir as metas dos respectivos projetos, e determinadas pela Diretoria e Coordenação Geral;

Realizar todas as articulações políticas necessárias para o bom desenvolvimento dos programas e o cumprimento das metas institucionais no campo da educação;

Assumir, em articulação com a coordenação geral, o processo de contratação dos profissionais que compõem a equipe de professores de campo;

Realizar a supervisão e monitoria em campo das atividades educacionais desenvolvidas pelo departamento de educação, e quando necessário, apoiar outras demandas institucionais na área Yanomami;

Propor soluções para os problemas diagnosticados na execução dos projetos;

Acompanhar periodicamente os trabalhos e resultados alcançados pela equipe de professores de campo da Secoya bem como pelos professores Yanomami;

Manter articulação com os outros coordenadores da Secoya para o bom desenvolvimento dos trabalhos;

Colaborar nos trabalhos de mobilização de recursos visando à garantia da continuidade dos trabalhos e a sustentabilidade institucional da Secoya, participando na elaboração de projetos;

Assumir a preparação e condução dos cursos de formação de professores Yanomami em todos os aspectos requeridos.

Condições de trabalho:

Regime de contrato: CLT

Contrato de experiência por 90 (sessenta) dias;

Ajuda de custo para alimentação em campo.

Deslocamento até a cidade de Manaus, quando da contratação, por conta do candidato.

Processo de seleção:

Encaminhar currículo com carta de apresentação, incluindo expectativa salarial para os emails: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até o dia 06 de março 2015.

O processo seletivo constará de avaliação de currículos, entrevistas e provas. Apenas os candidatos selecionados na primeira fase serão contatados.

 
Processo Seletivo da Secoya para o Cargo de Logístico PDF Imprimir E-mail
Ter, 24 de Fevereiro de 2015 13:38

A Secoya está selecionando um profissional para para atuar na qualidade de Logístico em sua base administrativa de Manaus.

O profissional contratado deverá:

Realizar articulações com instituições, fornecedores e colaboradores necessárias para o bom desempenho da instituição;

Controle e Monitoria das ligações, do combustível, das passagens fluviais e do envio de materiais;

Controle e Monitoria patrimonial dos equipamentos e infra-estrutura;

Viabilizar a limpeza e manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos e infra-estrutura;

Realizar o transporte de RH, Usuários e Equipamentos dentro do planejamento;

Planejamento de viagem com 24 horas de antecedência (verificar motor, bote, equipamento, piloto e auxiliar se necessário);

Solicitar o relatório das atividades em campo (viagens) dos pilotos fluviais;

Organizar e monitorar a estadia de profissionais nas bases;

Assumir responsabilidade pelo embarque e desembarque dos materiais, profissionais e usuários;

Atender as demandas administrativas da Secoya Manaus (envio e recebimento de documentação);

Colaborar com a passagem de área via radiofonia. (Quando necessário);

Organização do Arquivo impresso e digital (Realizar backup periódico do arquivo digital);

Compras com fornecedores somente mediante autorização;

Pedido de Material de Limpeza, expediente, manutenção de infra-estrutura, motores e equipamentos;

Informações regulares de como está à situação em área.

Requisitos Indispensáveis:

Experiência de trabalho como Logístico;

Residir ou ter disponibilidade para residir em Manaus/AM;

Informática básica;

Disponibilidade para viagens à Terra Indígena Yanomami;

Disponibilidade para trabalhar fora do horário de expediente.

Requisitos Desejáveis:

Experiência com povos indígenas;

Graduação na área;

Carteira de motorista;

Facilidade de comunicação;

Informática Avançada;

Facilidade para relacionamento e trabalho em equipe;

Facilidade para lidar com situações conflituosas;

Disponibilidade imediata.

Condições de trabalho:

Contratação via CLT: Contrato de experiência de 03 meses;

Quando em atividades de campo: apoio com alimentação;

Deslocamento em campo ou em atividade de coordenação por conta da Secoya;

Deslocamento até a cidade de Manaus, quando da contratação, por conta do candidato.

Encaminhamento das propostas e prazos:

Encaminhar currículo com carta de apresentação, incluindo expectativa salarial para os emails: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até o dia 06 de março 2015. O processo seletivo constará de avaliação de currículos, entrevistas e provas. Apenas os candidatos selecionados na primeira fase serão contatados.

 
Processo Seletivo da Secoya para o Cargo de Pedagogo(a) PDF Imprimir E-mail
Ter, 24 de Fevereiro de 2015 12:40

A Secoya está contratando profissionais para atuar em seu Programa de Educação Escolar Diferenciado junto aos Yanomami. Requer-se profissionais responsáveis para desenvolver   atividades educativas diretamente nas aldeias,  na área Yanomami, nos rios Marauiá e Demini, municípios de Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro.

A Secoya - Associação Serviço e Cooperação com Povo Yanomami é uma Associação não governamental, sem fins lucrativos, que trabalha junto ao Povo Yanomami do médio rio Negro do estado do Amazonas, através de ações nos campos de educação, educação em Saúde e direitos Indígenas.

Vagas para cargos de: pedagogos para atuar na área Yanomami

Pré-requisito

Ensino superior completo em pedagogia, ciências humanas ou áreas afins;

Experiência profissional em educação;

Interesse em trabalhar em contato direto com o povo Yanomami;

Ter disponibilidade em aprender a língua Yanomami;

Facilidade para trabalho em equipe;

Disposição física para o trabalho em área de floresta densa, incluindo longas caminhadas, deslocamentos de barco ou voadeira.

Atividades

Assessorar os Yanomami na construção do programa de educação diferenciado;

Realizar acompanhamento pedagógico aos professores Yanomami;

Elaborar materiais didáticos;

Apresentar relatórios das atividades em campo;

Planejar, acompanhar e ministrar oficinas de formação;

Sistematizar os resultados das oficinas de formação;

Apoiar às atividades do departamento de educação da Secoya.

Desejável

Experiência de trabalho junto a povos indígenas;

Experiência de trabalho na Amazônia  e/ou em processos de educação diferenciados;

Domínio do pacote office e internet – redes sociais.

Condições de trabalho

Regime de contrato: CLT

Contrato de experiência por 90 (sessenta) dias;

Ajuda de custo para alimentação em campo.

Deslocamento até a cidade de Manaus, quando da contratação, por conta do candidato.

Processo seletivo

Encaminhar currículo com carta de apresentação, incluindo expectativa salarial para os emails: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até o dia 06 de março 2015. O processo seletivo constará de avaliação de currículos, entrevistas e provas. Apenas os candidatos selecionados na primeira fase serão contatados.

 
Em defesa da vida na Amazônia, da Humanidade e do Planeta PDF Imprimir E-mail
Ter, 03 de Fevereiro de 2015 18:12

Nós, lideranças dos povos indígenas da Amazônia, participantes do Fórum Social Mundial da Biodiversidade 2015, realizado em Manaus entre os dias 25 e 30 de janeiro de 2015, em razão de inúmeras ações desenvolvidas pelo Estado Brasileiro em flagrante violação à Constituição Nacional e a outros instrumentos legais internacionais (ex. OIT 169), que ameaçam o meio ambiente, a cultura e a vida dos povos indígenas - inclusive daqueles que não tem contato com a sociedade envolvente-, publicamente repudiamos:

As ações do Governo Federal que, para construir grandes hidrelétricas na Amazônia não consultou as comunidades afetadas e nem as esclareceu quanto aos impactos ambientais e sociais de tais empreendimentos; promoveu manobras e manipulações para forçar as comunidades a aceitarem a realização das obras; omitiu a verdade aos povos indígenas e à opinião pública quanto aos verdadeiros interesses e quem seriam os beneficiados com a energia gerada pelas usinas, além de usar a violência policial para reprimir e intimidar as comunidades;

As manobras no Congresso Nacional da bancada ruralista e outras ligadas ao agronegócio para aprovação da PEC 215 - que retira do Poder Executivo e transfere para o Legislativo a prerrogativa de demarcar as terras indígenas. Nos últimos anos, esses setores têm agido, dentro e fora do Parlamento, de forma bastante incisiva para derrubar as conquistas dos povos indígenas, ora disseminando a violência e o preconceito, ora plantando informações falsas nos meios de comunicação para jogar a população contra os povos indígenas;

A nomeação de representantes do agronegócio e a bancada ruralista, personificada na senadora Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura. Com essa nomeação, a presidenta Dilma Roussef afronta os povos indígenas, os trabalhadores rurais, comunidades quilombolas e outras que resistem à violência e aos desmandos dos latifundiários e do agronegócio quebrando os acordos com os povos tradicionais.

As articulações dos grupos interessados na exploração mineral em terras indígenas que buscam aprovar o Projeto de Lei que abre as terras indígenas para essa atividade sem nenhuma preocupação com o que possa acontecer com as comunidades e o meio ambiente. Ao longo de mais de 500 anos, a exploração mineral serviu para enriquecer um pequeno grupo de aventureiros à custa de destruição, genocídio e empobrecimento das populações.


O descaso do Governo Federal para com os povos indígenas sem contato com a sociedade. Por décadas, esses povos têm sofrido a violência do modelo depredador de desenvolvimento. Também têm resistido rejeitando o contato e isso tem lhes permitido viver de acordo com seus costumes e tradições. Na atualidade eles estão ameaçados pelos mega empreendimentos na Amazônia. Recentemente, temos testemunhado a exploração de fatos sensacionalistas, por um lado, e, por outro, informações da ocorrência de epidemias, ações de narcotraficantes contra esses indígenas e impactos causados pela exploração de recursos naturais, pelas madeireiras ou como a prospecção petrolífera na região do Vale do Javari em área onde há informações da presença de grupos isolados.

A militarização da Amazônia e os impactos dos quartéis instalados dentro das terras indígenas. Invadem nossas áreas e violentam nossa vida, não respeitam nossos costumes e abusam de nossas mulheres.

Nós, povos indígenas, juntamente com os segmentos que apóiam nossa luta, queremos a imediata demarcação e regularização de todas as nossas terras e nos juntamos aos demais setores da sociedade que rejeitam o atual modelo de desenvolvimento depredador e “ecocida” implementado pelo Estado Brasileiro, pois esse modelo está na raiz da instabilidade econômica e ambiental, do desequilíbrio sistêmico socioambiental que abala todo o planeta e resulta no esgotamento dos recursos naturais em vários países e, no Brasil, está levando todos a um futuro de incertezas em vista das crises no abastecimento de água, de energia e na crise econômica que se torna cada dia mais evidente. Queremos também que os países mais poluem o planeta, se empenhem para a redução dos poluentes nos próximos anos.

Lembramos que com nossa experiência milenar de reciprocidade e interação com o meio ambiente geramos uma grande e rica diversidade de formas de conviver em sociedade (sociodiversidade), e exercemos não só um papel de proteção da biodiversidade, mas contribuímos ativamente para o seu enriquecimento.

As imagens de satélite mostram que ás regiões onde as terras indígenas estão demarcadas são as mais preservadas da Amazônia, mais ainda que outras áreas de proteção ambiental (parques nacionais, reservas, etc.) que continuam sendo saqueadas e desmatadas.

Por isso, quando lutamos para manter a nossa autonomia e as nossas formas próprias de vida, pela demarcação e garantia de nossas terras, contra a exploração e depredação da Amazônia, agimos não só em prol de nossa causa, mas em defesa de toda vida no planeta. Bem e bom viver e conviver com a Mãe-Terra, como nos ensinaram os antepassados, como aquela que nos sustenta e dá segurança, nos ajudará a encontrar os caminhos para salvar e construir o futuro da Amazônia. Essa é nossa luta e compromisso, nossa contribuição com a vida da humanidade e do planeta, para que nossos filhos e os filhos de nossos filhos possam continuar a dança da vida sobre a Mãe terra.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 8 de 45

Nossos parceiros