top of page

Articulação indígena reclama de postos vazios na Funai e cobra governo Lula

Carta elogia valorização do 'movimento indígena' pela gestão federal, mas pede que nomeações ocorram 'o quanto antes'

Por: Mônica Bergamo/ Folha de São Paulo

Articulação indígena reclama de postos vazios na Funai e cobra governo Lula
Crédito: Ricardo Stuckert/PR

Em janeiro deste ano, o governo federal exonerou mais de 30 coordenadores e servidores da Funai, indicados na gestão de Jair Bolsonaro (PL), após a crise sanitária e humanitária na Terra Indígena Yanomami.


A Apib afirma que postos seguem vazios. A carta elogia a "valorização do movimento indígena" no governo Lula, mas cobra ações.


"Esperamos que as nomeações ocorram o quanto antes, pois os problemas que nos afetam no dia a dia não podem esperar mais, tais como os conflitos e a crescente violência contra nossos povos", afirma o documento.


Povo yanomami sofre com garimpo, explosão de malária e grave desnutrição


A articulação critica a gestão dos ex-presidentes Bolsonaro e Michel Temer (MDB) e diz que a política indigenista "não pode mais cair na morosidade, omissão e descaso que a caracterizou particularmente nos últimos seis anos".


"E não pode também, acreditamos, ser submetida a critérios de interferências político-partidários, negociatas e muito menos à prática do toma-lá-dá-cá, na condição de moeda de troca no jogo de interesses econômicos e políticos de quaisquer grupos sociais, sobretudo anti-indígenas", segue o texto.


Procurados, os ministérios não responderam até a publicação deste texto.

Commentaires


Postes en vedette
Messages récents
Dossier
Recherche par tags
Pas encore de mots-clés.
suivre
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page